CACHORRO TAMBÉM É GENTE
Foi com uma afirmação bem parecida que o então ministro do Trabalho e da Previdência Social, Antônio Rogério Magri, justificou no início dos anos 1990 o uso de um carro oficial para transportar sua cadela Orca de casa a uma clínica veterinária. “Cachorro também é um ser humano”, disse na ocasião para justificar o ato falho. Sem saber e mesmo de forma enviesada, antecipava uma pauta cada vez mais importante: os direitos dos animais, no caso, os de estimação.

QUE O DIGAM OS GATOS 
E outros “serumaninhos”, especialmente os de famílias de baixa renda, aos quais a deputada estadual Joana Darc (PL) quer assegurar o direito de ir e vir nos transportes coletivos, com um projeto de lei que apresentou e está em tramitação na Assembleia Legislativa. Faz sentido a iniciativa. É preciso assegurar a todos as condições para levar seus animais de estimação não só aos veterinários ou para tomar vacinas, mas também a outros lugares.

MAS TODO CUIDADO É POUCO
Para evitar transtornos e situações inconvenientes aos demais usuários de transportes coletivos, é claro que a coisa não pode ser bagunçada. O projeto de lei prevê uma série de regras, entre as quais o uso de caixas apropriadas, a proibição de alimentos e líquidos, a limitação da quantidade de animais por pessoa, bem como de tamanho e peso.

QUE COMECEM OS JOGOS! 
É o brado que em breve será ouvido no Amazonas, que pelo texto-base do projeto de lei aprovado nessa quarta-feira à noite na Câmara Federal, terá direito a oficializar dois cassinos, enquanto Manaus poderá oficializar até 13 casas de bingo. Caso aprovado pelo Senado e sancionado pelo presidente da República, o projeto acaba com décadas de hipocrisia e tira da “clandestinidade” atividades hoje apenas ilegais, mas existentes e consolidadas no Brasil.

VAI UMA ”FEZINHA” AÍ?
Junto com os cassinos e bingos, o Jogo do Bicho finalmente será reconhecido e poderá concorrer oficialmente com as loterias estatais, reconhecendo os vínculos empregatícios de seus milhares de trabalhadores, os quais todo mundo sabe que existem, quem são e onde estão, só não a Previdência Social, para a qual eles não existem e, consequentemente, não podem ter acesso a aposentadoria e outros benefícios.

NEM CONTRA NEM A FAVOR…
O placar da votação na Câmara mostra o quanto essa questão da legalização dos cassinos, bingos e Jogo do Bicho divide opiniões: foram 246 votos a 202, ou seja, apenas 24 votos a separar vencedores e vencidos nessa primeira rodada. Pesam a favor argumentos especialmente financeiros, pois essas atividades movimentam verdadeiras fábulas financeiras não somente em apostas, mas na cadeia de atividades e serviços que envolvem. E contra, principalmente aspectos religiosos.

…MUITO PELO CONTRÁRIO 
Há razões aqui, ali e acolá, pois enquanto a jogatina legalizada gera empregos, movimenta inúmeros setores produtivos da economia, deixa divisas para União, estados e municípios por meio de impostos e taxas, por outro lado potencializa alguns males sociais, sim, e pode até servir para “lavar” dinheiro e legalizar fortunas obtidas por meios pouco ortodoxos, como algumas atividades bem conhecidas já fazem hoje, só que sem deixar nenhum centavo para os cofres públicos.

BANCADA QUE APOIA UNIDA…
Os oito deputados federais do Amazonas participaram da votação. A maioria esmagadora, seis, votou a favor, com somente dois votando contra. Os votos positivos foram de Átila Lins (PP), Bosco Saraiva (Solidariedade), Capitão Alberto Neto (Republicanos) Delegado Pablo (PSL), Marcelo Ramos (PSD) e Sidney Leite (PSD). Os negativos foram de José Ricardo (PT) e Silas Câmara (Republicanos), que têm vínculos religiosos, sendo um católico e outro evangélico.

TAMANHO É DOCUMENTO, SIM 
Pela regra populacional, de um cassino por estado para cada 15 milhões de habitantes, o Amazonas estaria automaticamente fora do game. Mas há uma exceção salvadora, que garante não um, mas dois cassinos para estados com território acima de um milhão de quilômetros quadrados de área. BINGO!!!!! Para Amazonas e Pará, que têm, respectivamente, 1,5 e 1,2 milhões de área.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui