No outro dia quando acordei meu marido já tinha ido trabalhar, vi que minha blusa não estava no chão do quarto, no cesto de roupa também não estava, será que ele guardou ou jogou fora? Me arrumei e fui cuidar da casa, estava com vergonha de ir trabalhar no sítio, na hora do almoço meu marido chegou como se nada tivesse acontecido no dia anterior, perguntei se estava tudo bem, ele falou que sim e que os funcionários estão trabalhando muito bem, fiquei mais feliz, almoçamos e ele voltou pro trabalho. Quando eram umas 15hs, o Beto apareceu na porta de casa, gelei na hora, ele falou que iria só dar um recadinho e falou “oi minha loira, ontem à noite eu vim na janela escutar você com o patrão”, não fiz cara boa na hora, ele pediu calma e falou “foi o Sr. Francelino que mandou, tinha medo da reação do patrão de te ver daquele jeito, ele gostou de te ver daquele jeito né?” fiz um sim meio sem graça, ele continuou “que bom, queremos que faça uma coisa hoje, chegue no nosso barraco 7 da noite, tomada banho e bem cheirosa, mas queremos, já que o patrão gosta de ver a mulher daquele jeito, peça pra ele escolher a roupa que irá usar hoje pra gente e uma que te deixa bem gostosa, porque iremos deixá-lo feliz depois, ok? Queremos ouvir você pedindo pra ele e ouvir o que ele fala, me liga neste celular na hora que for pedir”, meio fora do ar concordei e peguei o numero do celular que estava marcado no papel. Meu marido chegou às 18h30min e estava no banho, sai só de toalha, liguei para o número do Beto e quando atendeu, fui pedir pro Felipe com o celular só na mão, como se estivesse desligado e o chamei no quarto, falei “amor, eles me chamaram hoje de novo, tudo bem?”, ele concordou de forma séria, falei “então, com que roupa você quer que eu vá?”, “qualquer uma Ví”, eu disse “amor, é que eles querem que você escolha uma que me deixa bem atraente, qual você gosta?”, ele ficou pensativo e fui mostrando algumas no guarda roupa, ele escolheu uma blusa preta, colada no corpo e que deixa um pouco decotada, mas sempre uso com sutiã e com uma camisa por cima, falei “o que mais?”, ele pegou um short de lycra preto que usava na academia e uma calcinha da cor da pele mas que é bem enfiadinha, falei “só isso?” ele falou sim, soltei minha toalha na frente dele e fui colocando a roupa que ele escolheu, ele ficou me olhando e com a mão sobre o pau, quando terminei, a blusa tinha me deixado bem peituda, delineou meus seios e com um lindo decote, falei “amor, nunca usei sem sutiã, posso ir assim mesmo?”, ele falou “pode, adoro ter ver com essa blusa”, prendi o cabelo deixando livre meu pescoço, passei o perfume e deu uma borrifada no decote de frente pra ele e olhei nos seus olhos e mandei um selinho e falei “já volto” e sai andando de forma sensual, um pouco estranhava a situação nunca antes vivida, mas já que temos que passar por isso, estávamos curtindo.
Quando cheguei na casa deles, fui recebida pelo Beto, este sempre foi o que coordenava tudo com a supervisão do Sr. França, ele me olhou de cima em baixo, falou “ele escolheu direitinho hein, que peitões”, ele pegou na minha mão e me levou até a sala onde tinha um colchão no chão e estavam todos sentados nas cadeiras, ele falou “olha aqui gente, olha o que o patrãozinho escolheu pra gente, não está muito gostosa?” me fez dar uma voltinha, estava meio envergonhada ainda, ele falou pra mim “hoje vai ser um pouco diferente, você fica no colchão e vai um de cada vez receber seus carinhos, ok?”, me sentei sobre as pernas e vejo que do lado do colchão tinha um celular, o Sr. França se levanta e vem em minha direção, tira seu short e fica pelado, seu pau estava duríssimo, ele para bem de frente pra mim e me cumprimenta, eu pego seu pinto e começo a masturbá-lo ele me pergunta “então o patrão gostou do jeito que você chegou ontem?” falei que sim, ele continuou “nós vamos de deixar bem pior hoje, será que ele vai gostar?” falei “acho que sim”, o Beto ficou pelado e se encaixou atrás de mim, falou “calma, só vou acompanhar mais de perto”, ele me abraçou por trás, cheirou meu pescoço, olhou pro Sr. França e falou “chefe, olha o perfume que ela passou pra gente, vem sentir”, ele interrompeu a punheta e se abaixou e foi no meu pescoço e junto com o Beto, cada um de um lado, começaram a beijá-lo, me arrepiei na hora, davam fortes chupadas e umas mordidas, estavam deixando todo babado, eu gemia baixinho, cada um pegou nos meus seios, ficamos nisso uns 5 minutos, o Sr. França saiu do pescoço e foi me lambendo até os decote e falou pro Beto “tem perfume aqui também” e começou a lamber ali, por causa da barba, me arrepiei muito e me afastei, ele se levantou e mandou continuar, o Beto ainda me chupava o pescoço, devia estar deixando marcas no me pescoço pro meu marido ver depois, ele começa a me beijar e subindo até minha boca, segura o meu rosto e me beija na boca, por causa do tesão das chupadas não ofereço muita resistência, ele tinha hálito de cachaça, eles sempre bebem depois do serviço, nos beijamos por 30 segundos, ele enfiava a linguona dentro da minha boca e chupava meus lábios, os garotos que só observavam piraram na hora do beijo, ele parou de me beijar e colocou seu pinto, que antes estava encostado na minha bunda, entre minhas pernas e ficou a cabeça aparecendo bem onde fica a vagina, olhei pra ele e sorri, com a mão comecei a masturba-lo mas só na cabeça, ele foi com a mão na minha vagina e falou no meu ouvido “o patrão não quer ver isso aqui dentro de você?”, falei que não porque queremos ter um filho e estou fazendo tratamento, ele “quanto tempo?”, eu “há um ano”, o Sr. França riu alto e falou “esses brancos são frouxos mesmo, vê se tem mulher de algum negão fazendo tratamento, todas as nossas trepadas gera um filho, quer nossa ajuda?”, olhei rindo pra ele e falei que não, o Beto do meu lado falou “olha a benga do Sr. França, olha o tamanho das bolas dele, isso é pra fazer porra” e ele tinha mesmo umas bolonas bem grandes e quase sem pelos, ficavam bem a mostra, ficava olhando pra elas, o Beto começou a me empurrar em direção a elas e falou “dá um beijinho nelas, um em cada”, não ofereci muita resistência devido ao meu tesão na hora, falei “só um beijinho hein”, virei o meu rosto de lado, levantei o pinto do Sr. França, me aproximei e dei um beijinho molhado em cada uma, ele dava gemidas em cada beijo, quando voltei o Beto me segurou próximo ao pinto e falou “puxa a pele da jeba do chefe e libera a cabeça, olha o tamanho dela”, fui puxando e soltou a cabeça, era enorme mesmo e estava toda melada de porra, ele falou “dá um beijinho nela também, olha como ele está de tesão, vai só uma bocadinha, experimenta como é a porra de um negão, seu marido já experimentou e você não” e foi me empurrando novamente, abri a boca e deu uma chupada na cabeça só, tinha um gosto diferente mesmo, ele deu um gemido bem grande na hora, me afastei e Sr. França anunciou que iria gozar, o Beto falou “mostra o peito aí pra ele gozar em cima, leva pro seu maridinho lamber depois, mostra logo, vai” com a mão direita mostrei meu seio direito, o Sr França arregalou os olhos na hora, meu seios são lindos mesmo, deu uma gemida e começou a gozar em cima do seio e passava a cabeça nos mamilos, o Beto aumentou as massagens na minha vagina, o tesão era geral, deixou meus peitos todo melado, vinha um forte cheiro de esperma, ele espremeu seu pênis até sair tudo e passou a cabeça pra limpar na minha blusa, o Beto chamou outro garoto, o Adilson e falou que seria o última dessa vez, o garoto olhava direto pro meu peito gozado e pros meus olhos, comecei a masturbá-lo e depois de um tempo o Beto me mandou dar um beijinho nas bolas dele e na cabeça, fiz a mesma coisa que fiz com o Sr. França, o garoto logo gozou , mas espirrou primeiro perto da minha garganta e no ombro e depois que ele mirou pro seio direito, ele limpou a cabeça no meu busto, depois veio o Pedrinho que foi a mesma coisa, ele gozou no meu pescoço no lado direito e também nos seio direito. O Beto abaixou toda minha blusa até o umbigo, liberando todo os meus seios, caiu de boca no esquerdo, dava umas gemidas das chupadas que dava, ele mordia os bicos e chupava com força, se levantou e se posicionou e falou “agora é minha vez, hora do show”, sabia que ele estava ficando por ultimo de propósito, ele deixou se pênis bem próximo ao meu rosto e falou “pode começar”, peguei seu enorme pinto com as duas mãos, uma o masturbava e a outra fazia carinho nas suas bolas, ele gemia alto e falava “aí gente, olha como ela gosta de uma rola preta”, ele fazia carinho no meu seio esquerdo que ainda estava limpo, pegava no meu bico e apertava, olhou pra mim e falou “cadê os meus beijinhos, quero bem gostoso hein, quero beijo de língua aí, vai minha loira, depois conta como foi pro maridinho”, comecei a beijar suas bolas e dava umas lambidas, ele gemia alto e falava “que boca é essa, continua vai, mais” dei mais uns beijos e ele me falou já puxando toda a pele do pênis liberando a cabeça, “agora aqui e bem gostoso, pra depois beijar o patrãozinho”, a cabeça era bem escura e estava bem melada de porra, me pegou na nuca e a abocanhei, ele gemeu alto na hora, tentei parar mas ele me segurou, falou “calma, só mais umas bocadas”, fui masturbando e chupando ao mesmo tempo, ele deu uma forte gemida e começou a gozar falando “toma sua puta, segura tudo na boca”, ele gozou tudo que tinha, tive um pouco de nojo, mas gostei de sentir aquele pinto enorme na minha boca dando fortes esguichadas dentro dela, não engoli, ele mandou eu guspir em cima do seio esquerdo, a quantidade era enorme, meus lábios e queixo estavam muito melados, ele ia gozando o resto que tinha no meu pescoço e foi passando a cabeça em todo o meu busto, caiu na cama do lado e falou “nossa, isso sim é lugar pra trabalhar, pagando bem e dando a mulher pra gente gozar”, essa palavras acabavam me dando tesão em ouvi-las, o Sr. França falou “pode ir agora, seu maridinho está esperando, mas tem que ir com a blusa abaixada, eles tem que ver tudo o que fizemos com você”. Me levantei meio zonza, o Beto segurou minha mão e falou “podemos ir lá escutar seu maridinho com você?”, falei “pode, mas sem barulho”, na volta deu até frio até chegar em casa, com todo aquele esperma no meu corpo, fiquei com meus bicos durinhos, entrei em casa e vi a luz do quarto acesa, quando entrei meu marido estava nu, com o pau duro na mão e com o celular do lado, quando ele me viu com os seios a mostra e eu toda melecada de porra, ele deu uma suspirada trêmula de tesão e me falou “vem aqui do meu lado, quero te ver, eles me ligaram quando você chegou lá, eu escutei tudo”, eu fui até a cama andando de forma bem sensual, tirei meu short e a calcinha, sentei de frente pra ele, coloquei seu pau na entrada da minha vagina e fui sentando e cavalgando devagar, entrou facilmente, eu falei “amor, olha como estou molhadinha, viu como entrou fácil?, adoraram as roupas que escolheu, olha o que eles fizeram comigo dessa vez, você gosta? Posso continuar a ir lá?”, ele fez um sim com a cabeça e falou “quem fez isso tudo em você? Me conta?”, comecei a contar que primeiro foi Sr. Francelino que chupou e lambeu o meu pescoço e no decote dos peitos por causa do perfume que tinha passado e ele gozou nesse peito os meninos também gozaram aqui, dei o meu bico do peito pra ele chupar e chupou como um bezerro, falei que o Beto gozou no esquerdo, estava mais melecado que o outro, disse que tinha chupado e era o fato dele estar vermelho ao redor da auréola, ele falou “não pode fazer isso, são meus”, dei um sorriso e falei “amor, aqui é tudo seu, foi só umas mordidas e chupadinhas, trouxe eles de volta pra você” dei esse lado e chupou com mais intensidade, deixei um tempo e falei “amor, nesse eu dei uma chupadinha nele”, ele “é??? o pinto do Beto é muito grande amor? Você chupou todos eles? Até o do Sr. Francelino?”, falei que só tinha chupado o Beto até ele gozar e foi na minha boca e os outros foi um beijinho nas bolas e na cabeça do pênis, dei-lhe um beijo de língua nessa hora e ele correspondeu, depois falei pra ele “amor, eles ficam pedindo pra meter em mim, sem camisinha, querem me engravidar, você deixa amor?”, ele nem respondeu, gozou na hora, tive um pequeno orgasmo também de saber que o meu marido gozou em pensar naqueles negros me engravidando, abracei-o com força para que os espermas que estavam grudados em mim passasse para o corpo dele também, ele gemia muito, cai pro lado, tirei minha blusa, me limpei nela e joguei pro lado dele na cama e fui tomar banho, quando voltei ele já estava dormindo, a noite sonhei que estava na minha cama dando para o Beto e o Sr. França, sem camisinha, tinham gozado dentro de mim e depois estava grávida deles, acordei com um tesão enorme, meu marido já tinha ido trabalhar, comecei a me masturbar, cheguei no orgasmo, quando levantei vi que a minha blusa tinha sumido e depois vi que uma mensagem no meu celular e era do Beto “minha princesa, hoje não queremos você, vamos descansar e amanhã tem mais”.
No fim desse dia recebi outra mensagem do Beto “eu e chefe iremos, depois da janta, conversar com o patrão aí, veste uma coisa legal pra gente”, me arrepiei na hora, corri tomar um banho e fiquei bem cheirosa e ficava pensando o que iria usar, este dia estava bem quente, escolhi uma saída de banho que parece um vestido, é bem solto no corpo e florido, não é tão curto mas mostra muito bem as pernas, os vesti sem sutiã, meus seios ficaram desenhados no vestido, na hora de escolher a calcinha resolvi ir sem, pra melhorar o showzinho, fui pra cozinha jantar com meu marido, quando ele me viu, falou “a turma vai vir aqui pra conversarmos sobre planejamento da safra, vai ficar assim?”, falei que estava calor e não iria lá fora, talvez dar um oi, ele me olhou melhor e se aproximou e levantou minha saia e viu que estava sem calcinha, falou “e se eles te verem?”, falei “amor, tá calor, deixa eu ficar assim vai? Só vou lá fora dar um oi”, ele concordou e vi que ficou de pau duro. Quando eles chegaram, dei uns 10 minutos e fui lá, ao andar meus seios balançavam por estar sem sutiã, apareci andando de forma bem sensual, eles ainda não tinham tomado banho por estarem trabalhando até aquela hora, fui até eles cumprimentar com um beijinho no rosto, o Sr, França foi mais contido, mas o Beto me pegou na cintura e me deu um beijinho do rosto bem próximo ao canto da boca, me virei e fui andando sensualmente até meu marido que depois falou que colaram os olhos na minha bunda, falaram do fato de estar já tomada banho, falei “sim, tô limpinha”, sentei do lado me meu marido e cruzei minhas pernas, eles colaram os olhos nas minhas pernas, o Felipe fingia não reparar nas encaradas dos dois e continuava a falar dos planos pra safra, fiquei um tempo com as pernas cruzadas e resolvi mostrar o que tinha debaixo da saia, descruzei as pernas e vi que eles não tiravam os olhos de mim, aos poucos fui abrindo as pernas, meu marido me olhava de vez em quando durante a conversa e via o que eu estava fazendo, eu olhava pra ele sempre sorrindo e concordando, os dois, principalmente o Beto, olhava diretamente no meio das minhas pernas, eu fiz depilação definitiva na vagina e nos grandes lábios é lisinha, meu marido adora e acho que eles também estavam adorando, meu marido que teve que cortar a conversa e se despedir, porque por eles estaria até hoje, eles se levantaram e foram embora, se despedindo olhando pra minha vagina. Quando entramos, dei risada com meu marido, ele parecia mais sério, mas peguei no pau dele por cima da calça e estava duro, falei “amor, não vem não, você gostou de me ver com eles e olha como eu fiquei”, levantei a saia e mostrei minha vagina, peguei a mão dele e coloquei na entrada que estava molhadinha, ele começou a me masturbar, tocou o sinal de mensagem no meu celular, virei de costas pro meu marido e comecei a ler, era do Beto e falava assim “gostou de exibir sua bucetinha pra gente né? Nos aguarde amanhã, queremos você sem nada e se guarde até amanhã pra gente, nada com o patrão hoje. Boa Noite e beijo na bucetinha”, li e mostrei pro meu marido que ainda estava me tocando, ele leu e falou “está vendo sua safada, amanhã quero ver você segurá-los”, com cara de tesão falei “amor, calma, aqui é tudo seu”, virei e dei-lhe um beijo na boca e me afastei dele, falei “amor, eles pediram pra me guardar até amanhã, vamos dormir”, ele com cara de bravo acabou concordando. Fui colocar o meu baby-doll e fiquei peladinha, olhei pro Felipe e falei “amor, será que eles vão me querer assim amanhã? Você deixa?”, ele “agora provocou, segura a peãozada e cuidado hein”, falei “pode deixar”, me deitei nua do lado dele e fiz uns carinhos no Felipe, falei “amor, não vejo a hora de engravidar, será que vai demorar?”, ele foi até a minha vagina e dei um beijinho e outro na barriga, na região do útero, falou “logo, logo vou te fazer mãe, aqui logo terá um bebezinho”, imaginei “imagina um neguinho”, depois de algumas conversas, falei “amor, amanhã não pode ser aqui em casa?”, ele “por que?”, eu “é ruim ir lá, lá fede, desconfortável, tenho que voltar daquele jeito toda vez, deixa amor? Deixa?” fiz cara de pidona, ele me olhou todo meu corpo nu novamente e falou “tá bom, eu deixo, mas cuidado hein”, eu o abracei toda feliz e dei-lhe um beijo na boca e falei “amor, por isso que te amo, faz tudo que te peço, amanhã eu te agradeço e não vai se arrepender”, ele estava de pau duro, mas me vesti e fomos dormir. Continua…