DF e Exército ignoraram alertas da Câmara Legislativa sobre golpismo

Câmara Legislativa do DF fez três alertas ao governo do DF e Exército sobre risco de atos terroristas; nenhum documento foi respondido

Por Guilherme Amado

O governo do Distrito Federal e o Exército ignoraram alertas formais da Câmara Legislativa do DF (CLDF) sobre o risco de atos terroristas dos golpistas acampados em frente ao Quartel-General (QG) do Exército. Três documentos foram enviados pela Comissão de Direitos Humanos da CLDF e pelo gabinete do deputado Fábio Felix, presidente do colegiado. Nenhum foi respondido.

Em 28 de novembro, um mês após o início do acampamento golpista em frente ao QG do Exército, o deputado Fábio Felix mandou um ofício para o então secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo Souza Ferreira. O parlamentar pediu a identificação e responsabilização dos bolsonaristas que tentavam impedir a posse de Lula.

“As manifestações, com expresso caráter golpista, têm sido complacentemente toleradas, eperduram em frente ao Quartel-General do Exército”, afirmou Felix, ressaltando que um manifestante no acampamento convocou atiradores para se juntarem ao movimento.

Em 13 de dezembro, um dia depois de bolsonaristas tentarem invadir a sede da PF e vandalizarem o centro da capital federal, Felix fez mais dois documentos.

A Comissão dos Direitos Humanos, que ele preside, voltou a cobrar ações da Secretaria de Segurança Pública do DF, e também do Exército.

“Tais atos colocam em risco a transição de governo e os preparativos para a posse do presidente eleito e, portanto, configuram um risco para cidadãos, autoridades e para a própria democracia brasileira”, afirmou Felix.

@amarildocharges

O colegiado também defendeu a remoção imediata do acampamento na área militar ao comandante Militar do Planalto, general Gustavo Henrique Dutra de Menezes. Órgão do Exército, o Comando Militar do Planalto é responsável pelo Batalhão da Guarda Presidencial, que no último dia 8 hesitou e precisou receber ordens da Polícia Militar durante a invasão do Planalto.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui