CONTO

Olá sou a Marcela tenho 32 anos , casada há quatro anos (meu marido só pensa em trabalho e bar) sou de São Paulo, tenho a pele bem clara cabelos castanhos altura dos ombros com luzes, tenho coxas grossas bunda muito grande empinadinha que chama atenção dos homens, seios avantajados que quase não cabem no sutiã, 85 quilos eu sou uma gordinha sex. Trabalho de operadora de caixa em um supermercado que faz parte de uma grande rede de supermercados, trabalho perto da minha casa, no início de 2019 inaugurou_se uma filial em outro bairro, eu fui transferida para lá por causa da minha esperiencia para treinar as meninas, ia pela manhã e voltava lá pelas oito horas da noite em meu carro, quando voltava para casa fugia do trânsito do centro e passava por algumas ruas mais tranquilas, algumas dessas ruas com lombadas quase que tinha que parar o carro pra passar, em uma dessas lombadas ficava um senhor de uns 60 anos , achava que ficava querendo dinheiro ou alguma coisa para comer porque ele olhava muito pra mim e era um morador de rua, agiu assim umas três vezes , em uma noite ele me parou e educadamente me cumprimentou achei que iria me pedir dinheiro, entretanto me pediu uma coisa inacreditável , inusitada pra eu bater uma punheta para ele, falei que era casada , não dei muita atenção para ele , acelerei o carro , mas fui com aquilo na cabeça para casa achando uma coisa bizarra.
Na noite seguinte ele estava no mesmo lugar me parou novamente e veio com aquele mesmo pedido , já foi falando que outra moça fazia aquilo pra ele , no entanto parou de passar alí, que era só a punheta que queria , ninguém iria ficar sabendo até mesmo porque ele morava sozinho no porão daquela casa velha abandonada enfrente alí, ele era percisistente comigo com relação aquele pedido, não resisti aos apelos dele, confesso que já estava querendo fazer aquilo pra ele, pois já estava querendo pegar no pau dele, fiquei com pena dele, mas adverti ele que era tão somente a punheta que iria bater prá ele e eu não poderia demorar muito alí , então ele falou moça pode ficar tranquila é somente mesmo a punheta mais nada.

Estacionei meu carro na garagem daquela casa velha abandonada e acompanhei aquele morador de rua até o porão daquela casa velha abandonada, entramos em um quartinho improvisado , lá ele tirou o pau pra fora da calça, fiquei pasmada com o tamanho e grossura daquele cacete notei que era bem maior e mais grosso que o pau do meu marido.
Comecei apunhetar aquele pau enorme super duro com os movimentos das minhas mãos vai e vem apertava um pouco dando a impressão para ele que o pau dele estava enterrado em minha buceta , porque eu sabia que ele desejava meter em mim, não demorou muito ele gozou a porra esguichou longe amei aquilo, entretanto falei pra ele que não contasse a ninguém aquilo que tinha feito para ele, combinei em passar alí toda noite e beter uma deliciosa punheta pra ele, eu me encantei com o tamanho e grossura daquele cacete, fiquei molhadinha molhando até minha calcinha , quando cheguei em casa na hora do banho me masturbei gostoso , acho que mulher nenhuma resistiria pegando em cacete daquele tamanho e grossura.
Foi assim susessivamente durante um mês , toda noite depois do trabalho passava por alí e batia uma deliciosa punheta para aquele morador de rua , levava até um creme pra passar no pau dele pra ficar mais gostoso, às vezes deixava ele ver de propósito a minha calcinha e meus seios fartos , durante esse tempo nunca pediu a minha rachada, eu que já não estava me controlando o desejo de dar ele a buceta, sonhava acordada dia e noite com aquele cacete enfiado em minha rachada, ele sabia disso, mas não forçava a barra fingindo contentar apenas com a punheta, no entanto ele queria mesmo era me comer e esperava a minha decisão, eu sabia que aquele morador de rua era louco prá meter em mim.
Continua depois da publicidade

Em uma noite cheguei alí decidida a saciar aquele meu desejo, ele já estava me esperando como sempre com o pau duro armado e a espera da deliciosa punheta, falei pra ele desse jeito chega de punheta , também estou cansada de me masturbar na hora do banho, hoje eu vou te dar a minha rachada, em seguida tirei minha blusa e sutiã, minha bermuda e minha calcinha , fiquei nua enfrente ele, ele ficou paralisado e olhava minhas coxas grossas, minha bunda grande empinada, meus seios fartos e principalmente minha buceta depiladinha com uma tira de pêlos bem baixinhos e ficou sem saber o que fazer comigo. Me aproximei dele e dei um abraço nele tranquilizando_o, sente o pau duro dele em mim , fui para cama dele abri as pernas e falei , vêm morador de rua enterra esse cacete grosso em minha rachada molhadinha, hoje vou matar sua fome de buceta, estou sedenta por este pau grosso seu.
Ele entrou entre minhas coxas grossas atolou aquele cacete durão em minha buceta , ele mamava chupava meus seios, percebi que ele estava faminto por minha buceta, circulei meus braços sobre a costa dele e agarrei ele com toda minha força, não queria que ele me soltasse, ele metia em mim muito acelerado, falei para ele ir mais devagar pois eu tinha todo tempo do mundo para meter com ele o tanto e o tempo que quisesse. Nossa aquele pau enorme grosso em minha buceta uma delícia, eu gemia , até gritava de tão bom e gostoso que estava, ele socou e gozou gostoso , nós gozamos juntos , minha rachada ficou cheia de porra quente , há muito tempo que eu não metia porque meu marido só pensa em trabalho e bar por isto estava com uma tesão de vaca.
Depois sentei com meu cuzinho no pau dele que entrou arrombado , fiquei bastante tempo sentada naquele cacete enorme durão com meu cuzinho enquanto ele atolava os dedos em minha buceta , em seguida dei aquela mamada deliciosa naquele cacete e sente aquela delícia em minha boca aquele leitinho , depois ele se esfregou o pau em minha cara e deu aquela esguichada de porra em minha cara nossa amei . Toda noite passava por alí e dava gostoso a buceta aquele morador de rua escondida do meu marido, levava sempre alguma coisa na sacola do Supermercado despistando aqueles que vissem eu chegando alí naquele porão daquela casa velha era alimento que eu levava para ele pois ele era um morador de rua.
Uma vez perguntei para ele se havia metido naquela outra moça que batia punheta pra ele mas parou de passar alí , ele me disse que meteu sim e que ela também era casada. De fevereiro de 2019 a dezembro do mesmo ano toda noite depois do trabalho aquele homem me comia gostoso , debaixo dele sentia prazeres orgasmo e gozava delicioso, mesmo eu sendo uma mulher casada , fazia coisas com ele que jamais faria com o meu marido. Início de 2020 voltei a trabalhar perto da minha casa parei de passar alí naquela rua e de encontrar com aquele morador de rua, entretanto tenho saudades dele e mais ainda do cacete enorme grosso que só ele têm, qualquer dia desses na minha folga do trabalho vou rever aquele morador de rua e vou dar ele a buceta o dia todo escondida do meu marido. Vou confessar uma coisa quando lembro daqueles momentos com ele me masturbo deliciosamente gemendo até gozar. Bjsss Edilene Soares.