CORRUPTÃNCIAS: O Raio X da Corrupção

MOSTRA SUA IDENTIDADE, MANA!

Pois é, tanta gente falando de corrupção o tempo todo e a gente nem sabe direito o que a dita palavra quer dizer de verdade, não é? Então eu fui olhar no dicionário para você. E está lá: vem do termo latino corruptus que, a principio, significa, “quebrado em pedaços”, ou seja, estragado, corrompido e, por extensão, podre.

Estendendo ainda mais idéia, a gente pode esclarecer as coisas dizendo que se trata do uso ilegal do poder político e financeiro de modo que dinheiro/ vantagens saiam daqui prali (repito: ilegalmente) para beneficiar alguém ou alguéns.

Corrupção pode acontecer em qualquer lugar, a qualquer hora. Mas aqui, neste instante e parágrafo, estamos esmiuçando a corrupção, que os políticos cometem no Legislativo, no Executivo e no Judiciário, bem pequenina ou absurda de grande, envolvendo organismos ou agencias ou departamentos ou funcionários ou qualquer outra coisa que tenha a ver com a administração do bem público nas cidades, nos estados, no país.

 

NEM TODO POLÍTICO É CORRUPTO,

MAS TODO CORRUPTO É CRIMINOSO.

Parece óbvio, mas vale a pena repetir: criminoso é quem faz qualquer coisa contra a lei. E corrupto é quem comete crimes contra os cofres públicos.

MANUAL COMPLETO DO CORRUPTO ANIMADO

Um corrupto de marca maior age de maneira variada, dando um golpe aqui e depois tratando de criar outra fórmula de passar a mão no alheio acolá. Então, ele às vezes ataca com suborno ou propina, ou contrata a parentada para cargos importantes da administração pública, ou faz tráfico de influências, ou usa informação exclusiva do cargo que ocupa para ter alguma espécie de vantagem ou dar essa dica vantajosa para os parentes e chegados, ou recebe presentes, presentinhos e presentões por conta do cargo, ou ainda ataca mais na cara dura, com a chamada extorsão.

 

CASOS MAIS OU MENOS CONCRETOS

Dona Mara Cutaia é secretária de Obras Públicas de um estado e sabe que o governo vai fazer uma estradona nova e lisinha que vai valorizar as terras da região. Quem comprar terra agora, antes da estrada, vai pagar baratinho. Quem vender depois da estrada  pronta, vai poder pedir uma grana bem mais alta. Então, dona Mara Cutaia, secretária de Obras Públicas, dá a dica para um amigo e, por debaixo dos panos, se torna sócia daquela jogada. Mas ninguém pode saber da trama, porque fazer isso é crime: é uso de informação privilegiada do cargo em beneficio próprio ou de parentes e amigos.

Também há casos chamados de superfaturamentos. O senhor Clepto Crático fica com a missão de contratar um serviço para governo. Lixo, por exemplo. Vai contratar uma empresa de coleta de lixo para passar pelas ruas todos os dias, catar a lixaiada e depois despejar aquilo nos centros de reciclagem e no lixão. Aí, essa pessoa do governo, que aqui nós estamos  chamando de senhor Clepto Crático, mais a empresa a ser contratada, sabem que o preço por tonelada de lixo recolhido é, na verdade, um vintém furado, mas acertam que aquilo vai custar dois vinténs furados. Depois a empresa repassa um desses vinténs para o corrupto que a contratou, ou seja, para o senhor Clepto Crático.

 

A INVEÇÃO DOS SEUS CRIMINOSOS

Cada país tem suas leis. Portanto, existem coisas que você faz aqui no Brasil que são normais, não dão cana, mas que podem levá-lo á prisão noutros países. Na Índia, por exemplo, um casal que dá um beijo na rua se lasca. Porque é contra a lei. O mesmo acontece quando o assunto é corrupção política. Há lugares em que os partidos não podem receber doação de empresas. Todo o dinheiro das companhias de radio e TV, das bandeirinhas, cartazes e santinhos tem que ser repassado do governo para os partidos políticos.

 

CORRUPÇÃO ÍMPAR E CORRUPÇÃO PAR

Existem, sim, casos de corrupção em que o funcionário faz um trelelê com a papelada interna para dar um cano nos cofres públicos sozinho (ou ele atua como membro de uma gangue, com outros funcionários públicos). No  entanto, o mais comum é a corrupcao que envolve duas partes, os que DÃO e os RECEBEM a propina.

Isso é importante demais porque, de repente, a gente vê algumas pessoas tratando como herói o dono de um estabelecimento que finalmente confessa pagar caixinha – dinheiro por baixo do pano para manter a concessão de seu negocio localizado dentro de área pública. Mas quando se colocam os pingos nos “is”, os dois lados estão errados: quem pagou e quem recebeu.

 

O CAIXA DOIS DOS DOIS

Quando um caso de corrupção faz marola o suficiente para sair estampado nas páginas dos jornais e dar as carinhas na TV, se fala muito no tal “caixa” do esquema. Ocorre que, na maior parte das vezes, o dinheiro desviado por mil e um cambalachos, ou seja, o dinheiro não contabilizado porque é ilegal e que, portanto, faz parte do chamado caixa dois, vai parar no colo de uma pessoa que é o “caixa” da mutretança e que faz a ponte entre o que corrompeu e o que foi corrompido – em outras palavras, lida com a grana que o corruptor ativo repassa ilegalmente para o corruptor passivo.

Essa mesma pessoa fica encarregada de achar meios para repassar a mufunfa adiante sem deixar pistas. Nessa treta, o caixa é o sujeito que faz os repasses da bola e ainda bola os despiste.

 

QUEM PAGA PROPINA, COMISSÃO, DÁ PRESENTINHO, FAZ CAFUNÉ E SUBORNA TAMBÉM É BANDIDO

Presentinhos também são suborno. Nos Estados Unidos, qualquer coisa que o presidente ganhe e que custe mais de 200 dólares é considerado presente ao cargo, e, não ao ocupante do cargo. Se o Bill Clinton tivesse ganho um relógio bonito e caro enquanto era presidente, ao termino do mandato ele teria que deixar o relógio para o novo presidente, o Bush. Porém, se ele tivesse gostado muito do relógio, poderia comprar a tetéia do governo. Mas ficar com ele porque foi presidente, necas de pitibiriba. Ah, e o mesmo vale para mimos dados ao restante da família do presidente.

 

AO TIPONGAS

Os pares de corruptos são divididos em dois tipinhos (da pior qualidade, hein?): agentes de corrupção ativa são as pessoas que oferecem e/ou dão dindim ou outras coisinhas (às vezes no lugar de dinheiro, alguém dá um carro, por exemplo) e os agentes de corrupção passiva são os que pedem e/ ou recebem a grana, os favores, os presentinhos.

 

SE A CORRUPÇÃO ACONTECE AOS PARES,

ENTAO OS CORRUPTOS NÃO SÃO SÓ FIGURINHAS

E FIGURÕES DO GOVERNO. MUITA GENTE DO

SETOR PRIVADO, DA CHAMADA SOCIEDADE CIVIL,

É CURRUPTA TAMBÉM.

JÁ PAROU PARA PENSAR NO QUE É UM GOVERNANTE?

Governante é um funcionário público que esta no cargo temporariamente e que foi colocado lá por meio de uma eleição democrática, por eleitores que são pessoas comuns assim como eu e você (se você já tem idade para votar). Depois, esses governantes indicam pessoas para cargos de confiança. Quem está num cargo de confiança também é funcionário público temporário e que chegou ali, indiretamente, à custa dos nossos votos.

 

DESCULPA AÍ, MAS SEU COLARINHO ESTÁ É SUJO, MALANDRO

Em geral, os corruptos não se parecem nada com a ideia que a gente tem na cabeça do que seja um criminoso – uma pessoa ultramá que rouba velhinhas, faz sequestro-relãmpago, anda com revolver e dá pancada, estupra e mata com machadinha.

 

Como esses criminosos, corruptos são, em geral, empresários ou representantes de empresas, ou do governo, bem vestidinhos, de terninho e gravata e coisa e tal, o que eles fazem   ganhou o apelido de “crime do colarinho-branco”, apesar de, cá entre nós, ser um crime danado de sujo e asqueroso.

 

POR CIMA DA CARCAÇA

Algumas vezes, quem está por cima da carcaça e controla a transa toda é quem oferece a grana/vantagem em troca de favor. Mas tem vez que é exatinho o contrário: a pessoa chega intimidando – ou você paga, ou eu multo. Ou você paga, ou eu não libero os documentos a tempo, e por aí afora.

 

SEM FREIO DE MÃO

Os corruptos às vezes não se aguentam e mais parecem Kombi velha mal estacionada em ribanceira e sem freio de mão. Ou seja, saem torrando o tucum roubado sem se dar conta de que estão dando a maior bandeira, sem controle, assim como a Kombi velha se manda barranqueira abaaaaaaaaaaaaixo.

 

Da noite pro dia, aqueles caras que levavam uma vidinha simples passam a mostrar pra todo mundo que agora estão levando uma vidona, com carrão na garagem, viagens milionárias, barcos, motos, casas novas e filhos no desbunde de gastar a rodo… Tudo isso é chamado de sinais exteriores de riqueza.

 

POR QUE ALGUNS TRENS SAEM DO TRILHO?

Mesmo que ninguém desconfie de nada por uma longa data, o corrupto tem que viver com o coração apertado porque a qualquer momento aquele trem doido de roubar o país pode dar uma descarrilhada, pode sair desembestado dos trilhos. Pois por mais que o corrupto planeje e organize e apague pistas e queime arquivos, a chance de o esquema implodir é sempre grande.

 

Na hora de dividir o fruto do crime, alguém se sente traído, acha que está levando pouco e aí entrega a quadrilha. Ou chega uma hora em que algum envolvido na trapizonga quer mais e mais para ele. Ou alguém escorrega lá na ponta, é pego fazendo alguma coisa errada e arrasta todo mundo, em efeito dominó, quando se sente acuado. Ou ainda é um divórcio que pinta, e uma das partes, o homem ou mulher, que se sente sacaneada de algum modo, Poe o saquinho de confete na boca do ventilador.

 

Então , como todo bandido, corrupto fica num dilema danado: tem acesso a todo o conforto que o dindim pode comprar, mas não pode abusar ou corre o risco de dar na cara. Ao mesmo tempo, nem pode contar para os outros como ele foi “esperto”, ou pode quebrar a cara. E, finalmente, não pode descuidar um segundo daqueles que sabem da sua banda podre, ou o pau da barraca pode desabar sobre ele. Que vida mais besta então, hein?